Instalada frente parlamentar pela segurança de crianças e adolescentes no trânsito

A frente parlamentar tem o intuito de debater políticas públicas voltadas à segurança no trânsito focadas em crianças e adolescentes.

A Frente Parlamentar pela Segurança de Crianças e Adolescentes no Trânsito foi instalada na última quinta-feira (28). Os senadores Lasier Martins (Podemos-RS) e Fabiano Contarato (PT-ES) foram eleitos presidente e primeiro vice-presidente do colegiado, respectivamente. A senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) foi designada segunda vice-presidente.

Criada após a aprovação de projeto de resolução (PRS 52/2021), a frente parlamentar, composta por três titulares e dois suplentes, tem o intuito de debater políticas públicas voltadas à segurança no trânsito focadas (mas não somente) em crianças e adolescentes. Além disso, os integrantes buscam subsidiar, com informações fidedignas e oportunas, as ações legislativas, com a finalidade de aumentar a segurança no trânsito.

Importância das ações

Durante a reunião de instalação do colegiado, Lasier Martins falou da importância de ações legislativas para conter os índices de morte no trânsito, que atingem, em grande parte, crianças e adolescentes.

“O Brasil ocupava, na última década, o quinto lugar no ranking mundial de mortes por acidente de trânsito. Quase 30% das vítimas do país tinham de 15 a 29 anos de idade. Dados da Organização Mundial da Saúde, a OMS, indicam que as lesões no trânsito são a principal causa de morte de pessoas com idades entre 5 e 29 anos. Segundo o Datasus, as crianças de zero a 14 anos têm no trânsito a sua principal causa externa, ou não natural, de morte”, explicou.

O presidente da frente parlamentar também lembrou do trabalho da arquiteta e ativista Diza Gonzaga, criadora do programa Vida Urgente bem como da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, em Porto Alegre. “Seu trabalho nessa entidade, que atua em favor da conscientização da segurança no trânsito, combatendo, por exemplo, o ato de dirigir alcoolizado, serve de base para as nossas ações. Ela criou a fundação após perder o filho, Thiago, em um acidente de carro, em 1995. E, depois, transformou seu luto e sua dor em luta”, disse.

Conforme o senador o Brasil é signatário da Década de Ação pela Segurança no Trânsito. Este é o plano da Organização das Nações Unidas (ONU) para reduzir em 50%, até 2030 , os índices de mortalidade no trânsito. “É necessário, por exemplo, um esforço político e técnico para essa redução.  Além disso, é evidente a necessidade de um mecanismo político capaz de acompanhar, auxiliar e fiscalizar a sua execução. Nesse sentido, queremos civilidade e solidariedade para proteger a vida de nossas crianças e adolescentes”, finalizou.

As informações são da Agência Senado

Instalada frente parlamentar pela segurança de crianças e adolescentes no trânsito

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.